Facilitar a sua comunicação
e melhorar os seus resultados.

É isso o que fazemos.

Socorro à pessoa com infarto deve ocorrer em até uma hora

Cerca de 50% das vítimas não sobrevive a tempo de serem atendidas

30 de abril de 2018

Uma pessoa com dor no peito precisa ser atendida rapidamente, pois esse pode ser sinal de que ela está sofrendo um infarto. Se isso ocorrer e ela não receber assistência adequada em até uma hora, corre risco de morrer ou de ter o funcionamento do coração prejudicado pelo resto da vida. A cardiologista Fernanda Bento, do Hospital Metropolitano, localizado na Serra, explica que nessa situação o coração deixa de receber sangue, pois o fluxo é interrompido pelo entupimento de alguma artéria. Em função disso, parte do tecido do músculo cardíaco morre, sendo necessário ter agilidade para reverter o quadro de obstrução. “Quanto mais tempo ele ficar assim, maior será o risco de complicações”, enfatiza a médica. Fernanda Bento destaca ainda que, além da agilidade, a precisão em todo o processo de socorro é essencial. “Aqui no Hospital há uma equipe de enfermagem treinada para reconhecer os principais sintomas de um evento cardíaco para que o paciente seja encaminhado o mais rápido possível para o médico”, exemplifica. Ela completa informando que a equipe também segue um protocolo e uma sistematização de atendimento de dor no tórax cuja eficiência já é comprovada no mundo inteiro. Rapidez para salvar vidas Cerca de 50% das vítimas de infarto não sobrevivem a tempo de serem atendidas. “Por esse motivo, reconhecer os sinais do infarto é tão importante. Aproximadamente 90% das pessoas que chegam ao hospital em menos de uma hora têm grandes chances de sobreviver”, afirma a cardiologista. Nessa situação de emergência, o objetivo é claro: retomar o fluxo sanguíneo e interromper o processo de morte do músculo cardíaco. Dessa forma, quanto antes o socorro ocorrer, maior será a parte sadia que restará do coração para manter a vida. Como reconhecer um infarto Um aperto forte no peito, no centro do tórax. Parece que a dor só aumenta e também pode se irradiar para o pescoço, mandíbula, braços e costas. Esses são os sintomas mais evidentes de um infarto. Além deles, ainda podem ocorrer suor, palidez, náusea, falta de ar, mal estar generalizado e “queimação” no tórax ou na porção superior do abdome. Como ocorre o infarto Ao longo dos anos, as artérias do coração podem entupir. O excesso de colesterol forma placas de gordura aderidas aos vasos, obstruindo a passagem de sangue. Em algum momento, essas placas podem se romper e causar um infarto – quando há a formação de um coágulo que fecha totalmente o interior do vaso, levando à morte as células daquela região do coração. A pressão alta, o tabagismo, o sedentarismo e o diabetes podem acelerar o desenvolvimento desse problema.