fbpx
Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Mais da metade dos casos de cegueira são evitáveis ou têm tratamento

A catarata é a principal causa de cegueira em adultos com mais de 50 anos

A cada cinco segundos uma pessoa fica cega no mundo. No entanto, até 75% dos casos de cegueira poderiam ser prevenidos ou tratados, segundo o oftalmologista Alexandre Ruschi Neto, do Hospital Metropolitano.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que, no País, existem aproximadamente 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), há entre 40 e 45 milhões de cegos no mundo e outros 135 milhões de indivíduos com limitações severas de visão, 80% delas evitáveis.
Os principais problemas

No Brasil, algumas das doenças oculares mais comuns são os erros refracionais (miopia, astigmatismo e hipermetropia), a catarata, a retinopatia vascular (causada por diabetes e hipertensão arterial), a conjuntivite, o glaucoma e a degeneração da retina relacionada à idade.

Já as três principais causas de cegueira entre os adultos são a catarata, que é reversível por meio de cirurgia; o glaucoma e a retinopatia diabética (alteração no crescimento vascular da retina causada pelo diabetes), segundo a OMS.

Prevenção

Manter uma alimentação saudável, monitorar doenças como diabetes e hipertensão e consultar-se regularmente com um oftalmologista são algumas das principais formas de cuidar da saúde dos olhos.

Alexandre Ruschi Neto aponta também atitudes muito comuns das pessoas, mas que podem causar sérios prejuízos à visão, como usar colírios sem prescrição médica, fazer óculos de grau sem consultar um oftalmologista ou comprá-los prontos. “Há riscos de sofrer com problemas graves no futuro”, alerta.

Crianças

O Teste do Olhinho, feito ainda na maternidade – associado ao exame de fundo de olho, que é realizado pelo oftalmologista – pode detectar doenças oculares logo após o nascimento da criança. As mais comuns nessa fase da vida são retinopatia da prematuridade (alteração no crescimento vascular da retina), glaucoma congênito, catarata congênita (quando o cristalino já nasce total ou parcialmente opaco), toxoplasmose (infecção dos olhos causada pelo protozoário toxoplasma gondii) e retinoblastoma (tumor ocular).