https://veracomunicacao.com.br
Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Médica do ES tira 5 dúvidas sobre cuidados com câncer e Covid na ceia de Natal

Parentes vacinados com 2 ou 3 doses podem se encontrar na ceia, mas para quem mora longe é recomendável fazer um teste de Covid

O Natal está chegando e promete ser especial, por conta do avanço da vacinação da população brasileira contra o novo coronavírus. A ceia já não terá mais tantas restrições como em 2020, mas isso não significa que pessoas com câncer devem relaxar com os cuidados, como alerta a médica radioterapeuta Anne Karina Kiister Leon, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV).

Segundo ela, parentes vacinados com duas ou três doses podem se encontrar no Natal, mas para quem mora longe é recomendável fazer um teste de Covid.

“A vacina não impede a transmissão da Covid-19, mas protege contra as formas mais graves da doença. É por isso que mesmo as pessoas estando vacinadas precisam manter os cuidados”, explica a médica.

Nesta entrevista, Anne Kiister explica que as orientações para a ceia de Natal divulgadas numa cartilha no ano passado pelo Ministério da Saúde, por meio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), seguem valendo, ainda mais por conta do risco da nova variante do coronavírus que está em circulação, a ômicron.

A respeito da ceia natalina, a orientação da cartilha é oferecer bebidas em embalagens individuais (latas ou garrafas), arrumadas em baldes com gelo, para que as pessoas possam se servir sozinhas.

Segundo a publicação, o ideal é evitar o compartilhamento de utensílios para servir a comida. Pratos e bebidas em recipientes não individuais podem ser servidos por uma única pessoa, que deve lavar bem as mãos antes de servir e sempre usar máscara durante o processo.

Link para a cartilha: https://agencia.fiocruz.br/sites/agencia.fiocruz.br/files/u35/_cartilha_cuidados_final-de-ano_2020-12-15.pdf

Entrevista: Anne Kiister, médica radioterapeuta

 

1-No Natal de 2020 havia muitas restrições no contato entre as pessoas porque ninguém havia sido vacinado contra a Covid-19. Este ano, após a vacina, como os pacientes de câncer devem se cuidar na ceia de Natal?

Anne Kiister – Todas as pessoas, não só os pacientes oncológicos, devem permanecer com todos os cuidados de higiene diários. Se for fazer ceia de Natal, mantenha contato com parentes com os quais já possua convívio. É importante evitar aglomerações, utilizar álcool gel e deixar o ambiente com as janelas abertas para o ar circular.

 

2-Está liberado receber parentes de outras cidades, desde que estejam vacinados? É recomendável fazer um teste de Covid-19?

Está liberado sim, não vejo problema no convívio entre pessoas já vacinadas. Lembrando que é importante fazer o teste de Covid-19 numa situação dessas. Vale destacar que dependendo da janela de tempo em que o parente fizer o exame, pode ser que ele dê negativo.

Se pessoas que moram longe e que não se veem há muito tempo forem se encontrar no Natal, é indispensável que elas estejam assintomáticas e, de preferência, que tenham tomado duas ou três doses de vacina. Uma dose, não! Tem que ter tomado pelo menos duas.

3-Pessoas do mesmo núcleo familiar devem usar máscaras se receberem parentes de outras cidades?

É difícil ficar usando máscara. No Natal, as pessoas querem se abraçar e na hora da ceia, todos desejam estar juntos. Para comer tem que tirar a máscara. A regra é manter os cuidados e o ambiente com as janelas abertas.

Se for receber parentes, a orientação é que eles estejam vacinados com pelo menos duas doses. Tanto o paciente oncológico quanto os parentes precisam estar assintomáticos.

 

4-No ano passado, o Ministério da Saúde, por meio da Fiocruz, divulgou uma cartilha educativa com algumas orientações para a ceia natalina. Elas estão valendo ou é possível ser mais flexível este ano no contato com os alimentos?

Sempre que possível, o ideal é manter as recomendações, ainda mais com essa variante nova, a ômicron, chegando. Não sabemos o efeito dela. O coronavírus está em constante mutação. Permanecer com os cuidados em casa, nas festas de fim de ano, é super importante.

Quanto mais restrição a pessoa tiver, maior será a chance de se proteger. A vacina é eficaz contra os casos mais graves até a terceira dose, mas não impede que a pessoa se contamine com a doença. É melhor prevenir do que remediar.

 

5-Pessoas com câncer podem beber ao celebrar o Natal?

Costumo liberar meus pacientes para tomar até duas taças de vinho, duas taças de espumante ou duas latinhas de cerveja. Não existe uma quantidade de bebida que pode ou não ser consumida. Depende muito do estágio do tratamento da pessoa com câncer.

Nos casos de pacientes com tumor de fígado, pâncreas, estômago, por exemplo, não há estímulo ao consumo de bebida alcoólica. Mas pessoas que tratam mama, próstata, e já estão numa fase de manutenção, não vejo problema.

Claro que não é para ficar bêbado. E para beber tem que ter liberação do médico oncologista para isso. Cada paciente tem um prognóstico e cada caso deve ser visto de forma individual.

 

Sobre o IRV

Fundado em 2005, o Instituto de Radioterapia Vitória (IRV) é a única clínica privada do Espírito Santo para o tratamento de câncer por meio deste serviço. Funciona nas dependências do Vitória Apart Hospital, na Serra, com tecnologia de ponta e equipe altamente qualificada que tem como filosofia de trabalho o acolhimento dos pacientes.

O IRV tem convênio com os maiores planos de saúde do Espírito Santo, como Unimed, Samp, São Bernardo, Bradesco Saúde, MedSênior, Pasa/Vale, Arcelor/Abeb, Petrobras, Cassi (BB), Saúde Caixa, Banescaixa, Amil, Sul América, Mediservice, Codesa, Cesan, Geap, entre outros.