fbpx
Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Médico do ES recomenda cuidado no verão para evitar câncer de pele e Covid

Momento atual da pandemia pede atenção às recomendações sanitárias em praias e espaços abertos, agregadas ao uso do protetor solar

 

Com a melhora nos indicadores da pandemia de coronavírus, praias e espaços abertos voltam a ser espaços procurados para o lazer durante o verão. Com quase dois anos de restrições de circulação, poder curtir a estação mais quente do ano é um alívio para quem anseia sair de casa, mas representa um risco alto de incidência de câncer de pele.

O alerta é do médico radioterapeuta Carlos Rebello, diretor clínico do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV). Segundo ele, o momento atual da pandemia pede atenção às recomendações sanitárias, que devem ser agregadas a uma rotina de prevenção de fotoproteção.

“Os cuidados com relação ao sol devem ser mantidos, evitando o horário entre 10h e 16h. Com relação à proteção solar, o recomendável é usar filtros contra raios UVA e UVB com FPS 30 ou superior, tanto para o dia a dia quanto para a exposição prolongada. E não podemos abrir mão dos cuidados contra a Covid-19”, explica o médico.

De acordo com o especialista, a dica é aplicar o protetor solar em todas as áreas do corpo, sem esquecer das mãos, orelhas, nuca e pés, 30 minutos antes de se expor ao sol, para que a pele possa absorver o produto de forma uniforme. E reaplicar o filtro a cada duas horas ou após sair da água.

Carlos Rebello recomenda um cuidado especial com as crianças:

“Para a criança, o indicado é o filtro solar com FPS 30. Mas se ela tiver pele clara, o ideal é optar por um FPS 40 ou 50. A orientação é aplicar nos pequenos acima de 6 meses. Além disso, usar roupas leves, boné, óculos, guarda-sol, hidratar bem a garotada e ter cuidado nessa época de Covid com o álcool, pois pode ressecar e dar reação de pele. Sempre que possível, lave as mãos com sabonete”.

Verão com pandemia

No Dezembro Laranja, mês dedicado à prevenção ao câncer de pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lançou a campanha “Adicione mais fator de proteção ao seu verão”, em que deixa claro que o momento pede que junto com o uso do álcool gel, máscara e distanciamento, os brasileiros cultivem o hábito de se protegerem do sol.

A incidência do câncer de pele no Brasil é maior do que os tumores de próstata, mama, cólon e reto, pulmão e estômago. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a doença representa 27% de todos os tumores malignos no país.

Os carcinomas basocelular e espinoce­lular (não melanoma) são responsáveis por cerca de 180 mil novos casos da doença por ano no Brasil. Já o câncer de pele melanoma tem cerca de 8,5 mil novos casos anualmente.

Sinais de alerta

Carlos Rebello alerta para alguns sintomas que servem de alerta para os tumores de pele.

“Pessoas que apresentam muitos sinais e manchas pelo corpo, pintas que coçam ou sangram, histórico familiar de câncer de pele ou lesões que estejam crescendo devem procurar o médico dermatologista para uma avaliação mais criteriosa”, orienta o especialista.

O tratamento do câncer de pele varia e pode incluir cirurgia, quimioterapia, radioterapia e imunoterapia. “Tudo vai depender da forma como se encontra a doença. O melhor cuidado que podemos ter contra este tipo de tumor é a prevenção”, afirma o médico.

Sobre o IRV

Fundado em 2005, o Instituto de Radioterapia Vitória (IRV) é a única clínica privada do Espírito Santo para o tratamento de câncer por meio deste serviço. Funciona nas dependências do Vitória Apart Hospital, na Serra, com tecnologia de ponta e equipe altamente qualificada que tem como filosofia de trabalho o acolhimento dos pacientes.

O IRV tem convênio com os maiores planos de saúde do Espírito Santo, como Unimed, Samp, São Bernardo, Bradesco Saúde, MedSênior, Pasa/Vale, Arcelor/Abeb, Petrobras, Cassi (BB), Saúde Caixa, Banescaixa, Amil, Sul América, Mediservice, Codesa, Cesan, Geap, entre outros.