Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Dia do Idoso (1º/10): especialista faz alerta para riscos de quedas de idosos e dá dicas de prevenção

“É normal cair. Ele é idoso, acontece…” Você já deve ter ouvido frases do tipo. No entanto, as quedas são uma grande preocupação. Um quarto dos pacientes que sofrem essa fratura morrem dentro de seis meses e os que sobrevivem apresentam uma redução importante da qualidade de vida e autonomia.

Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, a cada ano, aproximadamente 30 a 40% dos idosos caem pelo menos uma vez. Há uma série de motivos que aumentam as chances de os idosos caírem.

Além das dificuldades encontradas no ambiente, como piso escorregadio, iluminação deficiente, calçados inapropriados ou tapete dobrado, existem as questões ligadas à saúde dos idosos, como possíveis doenças articulares, medicações, alterações sensoriais (principalmente perda da visão e audição), força muscular e outras.

O Dr Lourimar Tolêdo, ortopedista do Ráquis Instituto da Coluna, ressalta que é necessário compreender melhor o motivo das quedas para evitá-las. “É papel do médico questionar sobre a ocorrência de quedas e circunstâncias do evento. Indivíduos que caem de forma recorrente, além do risco de uma fratura mais grave como a de fêmur que acarreta alta mortalidade, podem sofrer também do medo de cair”.

Prevenção

O médico lembra que a ocorrência de quedas é comum, mas não é normal do envelhecimento. Estudos apontam que existe uma redução de 21% no risco de cair caso o idoso pratique algum exercício, como alongamentos com apoio, fortalecimento de musculatura e exercícios de estabilidade. “Mobilidade física e estabilidade postural estão diretamente relacionadas a prevenção de quedas”, ponderou o especialista.

“A prevenção de quedas é um grande desafio a ser enfrentado na atenção à saúde de pessoas idosas, de forma que haja o alerta por parte os profissionais sobre os fatores de risco a que pessoas idosas estão expostas no domicílio e na comunidade, bem como de serem identificadas formas de intervenção para sua eliminação ou minimização”, disse Lourimar.

O médico ainda lembra que a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de osteoporose é muito importante para evitar fraturas.

Recomendações

• Se necessário, use bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio;

• Elimine tudo aquilo que possa ser obstáculo ou provocar escorregões dentro de casa, como fios, tapetes e outros objetos;

• Instale suportes, corrimãos e outros acessórios de segurança no banheiro, na sala, nos corredores e no quarto;

• Use sapatos com sola antiderrapante, substitua os chinelos deformados ou frouxos e nunca ande só de meias;

• Instale iluminação ao longo do caminho da casa, principalmente para chegar até o banheiro.

Sobre 

O Dr. Lourimar Tolêdo é cirurgião da coluna e atua no Ráquis Instituto da Coluna. Ele realiza cirurgias complexas e de grande porte para o tratamento de deformidades, fraturas e tumores vertebrais, além de intervenções minimamente invasivas, indicadas para alterações que causam dor e incapacidade física.

Dedicado também à educação médica, coordena a residência médica e, há mais de 10 anos, é responsável pelo serviço de cirurgia de coluna do Hospital Meridional Serra. Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Society of Lateral Access Surgery (Solas), Society for Minimally Invasive Spine Surgery (SMISS) e North American Spine Society (NASS).