Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Envelhecimento com qualidade de vida é tema de seminário na Serra

Expectativa de vida, representação social do idoso, cuidados integrados e alimentação serão alguns dos assuntos abordados em evento gratuito, no próximo dia 29, no Hospital Metropolitano

Que o progresso na medicina é um dos fatores que têm contribuído para a melhoria na expectativa de vida dos adultos e dos idosos a Organização Mundial da Saúde (OMS) confirma, e quase todo mundo já sabe. A novidade é que os idosos envelheceram. Mas, como assim?
Para ficar mais fácil de entender, vamos dividir a velhice em diferentes faixas de idade.

Atualmente, as pessoas que têm entre 80 e 90 anos são chamadas de velhos-velhos. Já as que chegaram à casa dos 90 anos são identificadas como grandes idosos. Existem ainda os centenários e os super centenários, que são os idosos com mais de 110 anos.

Respeito

A velhice é, como nunca antes, a fase mais longa da vida do ser humano. Porém, recebe pouquíssima atenção e cuidado da maioria de nós, por existir sobre ela uma visão distorcida, afirma a geriatra Lívia Terezinha Devens.

Pesquisa realizada pela OMS, por exemplo, concluiu que 60% da população mundial acredita que não há respeito da sociedade em relação aos mais velhos, por conta de estereótipos socialmente estabelecidos. A imagem do idoso como um fardo ou como um indivíduo cansado, triste e com limitações é um deles, e tem sido frequentemente rebatida por quem já chegou à terceira idade e por profissionais da saúde.

Seminário

Para incentivar o debate sobre a velhice com uma fase de vida com particularidades como todas as outras (infância, juventude e adulta), e a importância de sua representação social para a qualidade de vida dos idosos, a equipe multidisciplinar da Unidade Geriátrica do Hospital Metropolitano, localizado na Serra, vai realizar o seminário “E velhice, o que é?”, no próximo dia 29, às 10h.

O evento será aberto afamiliares, cuidadores e pessoas que atuam no setor da saúde, e os interessados devem se inscrever pelo telefone 2104-7089 ou pelo e-mail lmenezes@metropolitano.org.br.

Segundo Lívia Terezinha Devens, que é a coordenadora da unidade, a velhice tem de ser vivida com naturalidade, pois é uma continuação da fase adulta. “Conhecer o processo de envelhecimento, com as transformações corporais e psicológicas que ocorrem, como as mudanças de responsabilidades e de papeis na família, entre outras, é muito importante para evitar problemas de saúde causados por desinformação”, explica.

Vida saudável

Lívia Terezinha Devens destaca que o idoso com algum problema de saúde, ainda que leve, deverá ser avaliado por profissionais de diferentes áreas da saúde (avaliação multidisciplinar). Além do médico, o nutricionista, o fisioterapeuta, o educador físico, o fonoaudiólogo e outros irão proporcionar a ele cuidados integrados, que o ajudarão a manter a qualidade de vida.

A alimentação, por exemplo, se apresenta como um dos grandes desafios de quem passou dos 60 anos, de acordo com a nutricionista Tatiana Lessa. “Algumas limitações podem dificultar ou até mesmo impossibilitar que o idoso consuma alimentos que antes faziam parte da sua rotina. Vamos mostrar que existem ferramentas para minimizar esse problema, de forma a devolver o prazer desse momento para ele e a família, e tentar desfazer mitos sobre a alimentação nesta fase”, explica.

Serviço

Seminário da Unidade Geriátrica do Hospital Metropolitano –E velhice, o que é?
Data: 29/11 – das 10h às 12h
Local: Espaço Metropolitano de Eventos (EME) – primeiro andar do Edifício Metropolitano Tower, prédio ao lado do Hospital Metropolitano.
Inscrições e informações: 2104-7089 ou lmenezes@metropolitano.org.br
Endereço: Av. Eldes Scherrer Souza, 488 – Laranjeiras, Serra.