Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Fatores emocionais e má postura causam dores na coluna

Desleixo com a posição das costas, estresse e ansiedade são alguns dos motivos que causam os incômodos

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial terá ao menos um episódio de dor nas costas durante a vida. Para Lourimar Tolêdo, membro da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), a principal causa dos incômodos é a má postura.
“Quando a posição das costas é mantida de forma incorreta constantemente, os músculos ficam enfraquecidos, o que pode causar alterações na estrutura da coluna. Essas modificações promovem dores e desconfortos, e, em longo prazo, desvios posturais e a hérnia de disco”, explica o médico.

Emoções
Além da má postura, conforme Lourimar Tolêdo, os fatores emocionais causam dores na coluna. “A ansiedade e o estresse fazem com que os músculos do tronco fiquem permanentemente contraídos, o que promove o acúmulo do ácido lático, composto que causa as dores musculares”, esclarece o ortopedista.
Para evitar o problema, Lourimar recomenda que as pessoas invistam em momentos de lazer e de descontração. “Muitas vezes não podemos evitar ambientes que nos causem desconfortos emocionais, como o trabalho. Porém, é importante que, ao chegarmos em casa, nos concentremos em algo que proporcione prazer e felicidade”, orienta ele.

Atividade física
Quando alguém fica estressado, as costas dessa pessoa se tornam menos capazes de tolerar as atividades físicas. Isso acontece devido à tensão dos músculos, que ficam vulneráveis a lesões. Por isso, aqueles que enfrentam a raiva e a ansiedade frequentemente precisam procurar por um ortopedista antes de iniciar qualquer tipo de exercício.
“O estresse e a dor atuam em uma espécie de ciclo vicioso: o estresse contrai os músculos, causando a dor, que, por sua vez, aumenta a tensão muscular, gerando mais nervosismo. As atividades físicas ajudam a resolver esse problema, porém, sem a devida orientação médica, podem até agravá-lo”, diz Lourimar Tolêdo.