Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Médica explica câncer de útero que afastou Fátima Bernardes da TV

Apresentadora anunciou nas redes sociais que está com tumor de útero e se afastou do trabalho para ser submetida a uma cirurgia

A apresentadora Fátima Bernardes, de 58 anos, surpreendeu o país ao anunciar em suas redes sociais que está com câncer de útero. Ela se afastou de seu programa, o “Encontro”, da TV Globo, nesta quinta-feira (3) e será submetida a uma cirurgia. A jornalista não indicou o local da lesão, mas disse que a doença está em estágio inicial.

Os tumores neste órgão se dividem em alguns tipos, como o de colo de útero, ligado na maioria das vezes ao Papilomavírus humano (HPV); e o de corpo do útero, em que o mais comum é o de endométrio.

A médica especialista em radioterapia Anne Karina Kiister Leon, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), explica que o tumor de colo de útero afeta mulheres mais novas, ao passo que o câncer de endométrio atinge idosas acima de 60 anos.

“Geralmente, o tratamento inicial é cirúrgico. Depois disso, pode ser que seja necessário fazer radioterapia, quimioterapia, as duas juntas ou nenhuma delas. Vai depender do resultado. Quando os tumores são descobertos em fase inicial, as chances de cura são extraordinárias”, afirma a especialista.

O câncer de colo uterino ocorre na parte inferior do útero, região em que ele se liga com a vagina e que se abre para a saída do bebê ao final da gestação. 

Anne Kiister esclarece que nem todos os tumores de colo de útero estão ligados ao HPV e explica que entre os primeiros sintomas a aparecer estão sangramento vaginal, seguido de corrimento e dor na região pélvica.

A médica pontua ainda que dependendo do grau da doença, a mulher pode não conseguir engravidar devido à retirada do útero em alguns casos ou à atrofia na musculatura causada pela radioterapia.

Mortalidade

O câncer de colo de útero ocupa atualmente o quarto lugar em mortalidade de mulheres por câncer no Brasil (sem considerar os de pele não melanoma). Por ano são mais de 6,5 mil óbitos, segundo dados de 2018 do Instituto Nacional de Câncer (INCA), que estima para 2020 o registro de mais de 16 mil novos casos deste tipo de neoplasia.

“O câncer do colo de útero pode ser prevenido com a vacina contra o HPV, que é oferecida pela rede pública de saúde. Vacinar é muito importante, assim como fazer anualmente o preventivo com o médico ginecologista. Este exame ajuda a detectar se algo está errado de forma precoce, o que aumenta as chances de sucesso do tratamento”, afirma Anne Kiister.

Endométrio

Já o tumor do corpo do útero pode se iniciar em diferentes partes do órgão, sendo que o mais comum se origina no endométrio (revestimento interno do útero) e é chamado de câncer de endométrio. O sintoma mais comum é o sangramento vaginal.

“O tumor de endométrio pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas é mais comum em mulheres acima dos 60 anos, que já passaram pela menopausa”, destaca a médica.

Segundo o INCA, para 2020 são estimados 6.540 novos casos da doença. O tumor de corpo do útero mata 1.743 mulheres por ano (dados de 2018).

Sobre o IRV

Fundado em 2005, o Instituto de Radioterapia Vitória (IRV) é a única clínica privada do Espírito Santo para o tratamento de câncer por meio deste serviço. Funciona nas dependências do Vitória Apart Hospital, na Serra, com tecnologia de ponta e equipe altamente qualificada que tem como filosofia de trabalho o acolhimento dos pacientes.

O IRV tem convênio com os maiores planos de saúde do Espírito Santo, como Unimed, Samp, São Bernardo, Bradesco Saúde, MedSênior, Pasa/Vale, ArcelorMittal, Petrobras, Cassi (BB), Saúde Caixa, Banescaixa, Amil, entre outros.