Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Médico dá dicas de como evitar problemas mais comuns na coluna

Artrose, escoliose e hérnia de disco são problemas que afligem adultos, principalmente, por poderem surgir a qualquer momento. Essas são as principais doenças na coluna, que podem se desenvolver a partir do desgaste provocado pela idade, pela má postura e pelo sedentarismo, causando dores intensas nas costas.

Daí a importância dos cuidados com a coluna desde cedo. Afinal, os maus hábitos podem antecipar os problemas. Algumas medidas podem ser adotadas para preservar a coluna “jovem” por mais tempo.

A primeira delas é cuidar da postura, prestando atenção na distribuição de peso e alinhamento do corpo quando estiver em pé. Outro cuidado é hora de pegar algo. Quando algo cai ou vamos pegar um bebê, por exemplo, é quase automático dobrar as costas para a frente na tentativa de alcançar o chão. A maneira correta é dobrar os joelhos e usar as coxas para sustentar o movimento.

Home office

Para quem trabalha no computador, o problema é recorrente. A dica é levantar e esticar o esqueleto a cada hora trabalhada.

O cirurgião de coluna Lourimar Tolêdo, que é ortopedista do Ráquis Instituto da Coluna, alerta, inclusive, que o home office, cuja prática foi intensificada na pandemia do coronavírus, aumentou o número de casos de problemas nas costas. A maioria das pessoas adaptou a mesa de jantar da sala ou da cozinha em mesa de trabalho.

“Problemas posturais podem ocasionar dores e contraturas musculares ou até mesmo doenças futuras, como artrose . A má postura frequente pode causar a deformidade mais permanente e mais difícil de tratar depois”, alerta.

O especialista dá dicas para quem trabalha em casa: “Tente deixar a coluna sempre ereta, bem como o pescoço, e apoiada no encosto da cadeira. Ajuste a altura do monitor de forma que a porção superior da tela permaneça na altura da sua linha visual. Se usar notebook, improvise livros embaixo dele para que fique na linha do seu olho”.

Tratamento

Quando a dor na coluna é intensa, persistente ou quando é acompanhada por sintomas como dor, queimação, formigamento ou outra alteração de sensibilidade e força nos braços ou pernas, vale fazer uma investigação aprofundada com o ortopedista.

Descobrir sua origem é fundamental para evitar o agravamento da condição e para fazer o devido tratamento. Para mais de 80% das pessoas, o tratamento clínico será suficiente, incluindo o uso de analgésicos e anti-inflamatórios, terapia manual, osteopatia, Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (PNF) e liberação miofascial.

Em alguns casos , pode haver indicação de cirurgia, dependendo do diagnóstico e suas manifestações .

Doenças e sintomas mais frequentes:

• Hérnia de disco: é causada pelo desgaste dos discos intervertebrais , mais comuns nas regiões lombar e cervical . Esses discos  são estruturas cartilaginosas que agem como almofadas entre uma vértebra e outra. Quando o disco se deteriora, a parte central dele se desloca. Com isso, os nervos da coluna são pressionados.

• Lombalgia: conhecida por dor nas costas, é um sintoma que afeta indivíduos de todas as idades e pode surgir em qualquer fase da vida. A lombalgia pode durar dias ou meses. Em alguns casos, além de causar dor no fundo das costas, pode causar sensação de queimação ou formigamento numa ou nas duas pernas.

• Artrose: pode ser causada por esforco físico repetitivo,traumatismo e obesidade , mas também há fatores genéticos envolvidos

• Osteoporose: doença caracterizada pela baixa massa óssea, resultando em deterioração da estrutura dos ossos. Essa deterioração pode enfraquecer os ossos, a ponto de a pessoa ter uma fratura sem passar por um grande trauma.

• Escoliose: É um desvio lateral da coluna vertebral em forma de C ou S. Geralmente é assintomática e normalmente é observada na puberdade.

Sobre

O Dr. Lourimar Tolêdo é cirurgião da coluna e atua no Ráquis Instituto da Coluna. Ele realiza cirurgias complexas e de grande porte para o tratamento de deformidades, fraturas e tumores vertebrais, além de intervenções minimamente invasivas, indicadas para alterações que causam dor, deformidades  e incapacidade física.

Dedicado também à educação médica, coordena a residência médica e, há mais de 10 anos, é responsável pelo serviço de cirurgia de coluna do Hospital Meridional Serra. Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Society of Lateral Access Surgery (Solas), Society for Minimally Invasive Spine Surgery (SMISS) e North American Spine Society (NASS).