Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Sete dicas para ajudar alguém a parar de fumar

O apoio da família e dos amigos é um dos principais combustíveis para o alcance do sucesso na luta contra o tabagismo

O tabagismo é uma doença (dependência química) que acomete mais de 21 milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. O consumo do tabaco pode causar cerca de 50 tipos de doença, principalmente as cardiovasculares, as respiratórias obstrutivas crônicas e a maioria dos tipos câncer. Por isso, o abandono do hábito é muito importante para o alcance de qualidade de vida e bem-estar, mas não é uma tarefa fácil.

Criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado no dia 31 de maio, objetiva destacar os riscos à saúde associados ao consumo de tabaco, conscientizar a população sobre o tema e promover a viabilização de políticas públicas eficazes para redução do problema.

Não é novidade que largar o cigarro é um processo complicado e gradativo, mas ele não deve envolver apenas o fumante. O apoio da família e dos amigos é primordial para vencer a luta contra o vício. Quando envolvidos, são responsáveis por ajudar, incentivar e respeitar os sintomas característicos da abstinência.

De acordo com Nivaldo Kiister, rádio-oncologista do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), além do câncer de pulmão, o tabagismo é fator de risco para outros tumores, como os localizados na região da cabeça, pescoço e bexiga. “A cessação do tabagismo é a medida mais importante de prevenção da doença. O comportamento das pessoas mais próximas ao fumante é determinante para a reação do paciente que tenta largar o cigarro”, afirma.

Dicas para ajudar alguém a deixar o cigarro

Livrar-se do tabagismo não é uma simples missão, porém é possível, principalmente se o fumante tiver com quem contar neste momento. Confira algumas dicas para ajudar alguém a deixar o consumo de tabaco:

1- Participe, demonstre que se importa. A motivação torna o processo mais fácil e menos custoso;
2- Encare o tabagismo como uma doença: incentive a busca por orientação médica e psicológica para o tratamento.
3- Ajude-o a definir uma época: determinar o primeiro dia sem cigarro é tão motivador como estabelecer uma meta;
4- Atente-se aos progressos, parabenize a pessoa pelo esforço e pequenas conquistas durante o processo;
5- Ajude o fumante a desassociar o ato de fumar ao prazer, proponha atividades que gerem bem-estar, que não envolvam o fumo e que substituam o sentimento de perda;
6- Evite que o ex-fumante tenha contato com locais e objetos relacionados ao cigarro, como áreas de fumantes, cinzeiros e isqueiros;
7- Não recrimine as recaídas, elas acontecem. São momentos de dificuldade que podem e devem ser superados juntos.