fbpx
Rua José Farias, 98, sala 806 - Santa Luíza, Vitória - ES.

Profissionais de áreas da estética podem identificar possíveis melanomas em clientes

Por verem de perto partes do corpo pouco observadas pelas pessoas, a atenção desses especialistas pode salvar vidas

Conforme uma pesquisa desenvolvida por médicos do programa Juntos Contra o Melanoma, esse tipo de câncer de pele acomete 5 mil pessoas anualmente no Brasil. Dessas, 1.500 morrem em decorrência da doença.

De acordo com o grupo, os cabeleireiros, os barbeiros e os tatuadores podem exercer um papel importante na detecção precoce dos melanomas. Isso porque eles observam de perto áreas de difícil visualização da pele dos clientes. Devidamente instruídos, esses especialistas podem identificar pintas e manchas suspeitas e recomendar que os clientes procurem por um médico.

Segundo o rádio-oncologista do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV) Carlos de Freitas Rebello, cerca de 6% dos melanomas são encontrados no couro cabeludo e no pescoço. “Com o auxílio de um cabeleireiro ou de um barbeiro, por exemplo, anormalidades potencialmente cancerosas podem ser identificadas precocemente”, explica o médico.

Conscientização

O rádio-oncologista esclarece que a intenção ao conscientizar os profissionais de áreas da estética na detecção do câncer de pele é levar possíveis pacientes até o consultório.

“Somente especialistas podem diagnosticar os melanomas. Porém, a recomendação de busca por ajuda clínica vinda de cabeleireiros, de barbeiros e de tatuadores incentiva a pessoa a procurar por um médico”, diz Carlos.

Prevenção

Para prevenir o melanoma e também outros tipos de câncer de pele, o rádio-oncologista dá algumas dicas. “É fundamental usar o protetor solar, mesmo durante períodos frios. Se possível, também evitar o bronzeamento artificial e a exposição ao sol no período entre as 10h e as 16h”, aconselha.